"Não aceitamos atenção primária seletiva"