Redes Estruturantes

Em 24 de novembro de 2009, os ministros que compõem o Conselho Sul-Americano de Saúde aprovaram, em Guayaquil, no Equador, por meio da Resolução 07/09, a criação de seis Redes Estruturantes para os sistemas de saúde no âmbito da UNASUL –- Saúde. Segundo essa Resolução, as redes estruturantes tem por objetivo principal articular, de forma eficaz e eficiente, e de maneira sustentável, as capacidades nacionais voltadas para o desenvolvimento de recursos humanos em saúde na região, com base no estímulo e fortalecimento da cooperação técnica e o intercâmbio de experiências entre os países membros.
 
As instituições participantes das Redes Estruturantes da UNASUL deverão ser indicadas pelos Ministérios da Saúde dos países membros e, ao assumirem sua designação, se comprometem a: 
 
  1. Se articular com as instituições e instâncias de governo dos demais países membros (contrapartes) para assegurar a convergência de ações voltadas à formação e ao fortalecimento dos recursos humanos em saúde da região;
  2. Promover a cooperação técnica entre os pares e outros órgãos de serviço, ensino e pesquisa, relacionados ao desenvolvimento de recursos humanos em saúde;
  3. Desenvolver e manter sistemas de monitoramento da força de trabalho e das capacidades formativas de recursos humanos em saúde na região.
Compõem as Redes Estruturantes da UNASUL instituições de natureza distintas, mas que ocupam posição estratégica, em seus países, no desenvolvimento de recursos humanos em saúde e na articulação com as autoridades nacionais de saúde para o fortalecimento dos sistemas e serviços de saúde. Incluem-se nessas instituições estratégicas Institutos Nacionais de Saúde, Escolas Técnicas de Saúde, Escolas de Saúde Pública, Universidades, Centros Formadores, Direções de Desenvolvimento de Recursos Humanos e outras instituições similares. 
 
As seis Redes Estruturantes da UNASUL são:
 
Rede de Escolas de Saúde Pública
Rede de Assessorias de Relações Internacionais e de Cooperação Internacional em Saúde (REDSSUR-ORIS)
 
Para mais informações, visite o site do ISAGS
 
 
 
Português, Brasil