Unasul

A União das Nações Sul-Americanas – UNASUL é um organismo internacional regional formado pelos 12 países da América do Sul – Argentina, Bolívia, Brasil, Chile, Colômbia, Equador, Guiana, Paraguai, Peru, Suriname, Uruguai e Venezuela.
 
A UNASUL foi criada em 23 de maio de 2008, durante Reunião Extraordinária do Conselho de Chefes de Estado da América do Sul, em Brasília/Brasil, com o objetivo de se constituir como um espaço de integração cultural, social, econômica e política que busca: eliminar as desigualdades socioeconômicas e reduzir as assimetrias entre as nações da Região, considerando e respeitando a soberania e a independência de cada Estado; fortalecer a inclusão social e a participação cidadã nacional e regionalmente; e fortalecer a democracia na Região.
 
A UNASUL está organizada a partir de Conselhos de diferentes níveis. O nível político mais alto é ocupado pelo Conselho de Chefes de Estado da América do Sul. Este Conselho se reúne, ordinariamente, uma vez por ano e é composto pelos Chefes de Estado de cada um dos 12 países membros. 
 
Logo abaixo ao Conselho de Chefes de Estado está o Conselho de Ministros de Relações Exteriores dos países membros. Este Conselho, que se reúne ordinariamente duas vezes ao ano, tem por missão implementar as decisões acordadas pelo Conselho de Chefes de Estado e articular com o conjunto de Conselhos e instâncias de governança do bloco, o cumprimento da agenda estratégica da UNASUL. Assim, o Conselho de Ministros das Relações Exteriores atua no desenvolvimento e na promoção do diálogo em temas regionais e internacionais, aprova o orçamento anual da UNASUL e cria, com base nas decisões e acordos do Conselho de Chefes de Estado, Grupos de Trabalho que se ocupam dos temas definidos como prioritários.
 
Apoia o Conselho de Ministros de Relações Exteriores a Secretaria Geral da UNASUL, órgão executivo cujo Secretário-Geral deve ser indicado pelo Conselho de Ministros das Relações Exteriores e aprovado pelo Conselho de Chefes de Estado. A Secretaria Geral, além de controlar o orçamento definido pelo Conselho de Ministros das Relações Exteriores, atua na documentação das decisões acordadas no âmbito do bloco e na organização das reuniões dos Conselhos da UNASUL.
 
A UNASUL conta, ainda, com 12 Conselhos Setoriais, que barca o conjunto dos grandes temas prioritários de interesse regional e internacional. São eles:
  1. Conselho de Saúde Sul-Americano
  2. Conselho Sul-Americano de Desenvolvimento Social
  3. Conselho Sul-Americano de Infraestrutura e Planejamento
  4. Conselho Sul-Americano de Educação
  5. Conselho Sul-Americano de Cultura
  6. Conselho Sul-Americano de Ciência, Tecnologia e Inovação
  7. Conselho Sul-Americano em Matéria de Segurança Cidadã, Justiça e Coordenação contra a Delinquência Organizada Transnacional
  8. Conselho sobre o Problema Mundial das Drogas
  9. Conselho de Defesa Sul-Americano
  10. Conselho Sul-Americano de Economia e Finanças
  11. Conselho Energético Sul-Americano
  12. Conselho Eleitoral
 
Mais detalhes sobre cada um dos Conselhos Setoriais podem ser obtidos na página do ISAGS.
 
A Rede de Escolas de Saúde Pública (RESP) da UNASUL está vinculada ao Conselho de Saúde Sul-Americano. Este Conselho tem por objetivo articular e integrar os esforços das nações Sul-Americanas para fortalecer os sistemas nacionais de saúde e promover políticas de interesse comum no campo da saúde, contribuindo para a redução de inequidades regionais e internacionais. 
 
O Conselho de Saúde Sul-Americano é composto pelos Ministros da Saúde dos países da América do Sul: Argentina, Bolívia, Brasil, Chile, Colômbia, Equador, Guiana, Paraguai, Peru, Suriname, Uruguai e Venezuela. O Conselho é o órgão de consulta e decisão sobre temas relacionados aos sistemas, serviços e programas de saúde, e atua como um instrumento de integração e coesão social entre os esforços empreendidos pelas nações da Região para o enfrentamento das iniquidades em saúde. Através de sua agenda técnica e política, detalhada em Plano de Trabalho quinquenal, o Conselho busca promover a coordenação de ações estratégicas entre os países, as agências sub-regionais, bem como os mecanismos e instituições existentes e novos, visando contribuir, de forma eficaz, para o desenvolvimento social e econômico da América do Sul.
 
Mais informações, acesse o site do Conselho de Saúde Sul-Americano.
 
Em abril de 2009, através da Resolução 05/2009, o Conselho de Saúde Sul-Americano aprovou a criação do Instituto Sul-Americano de Governança em Saúde, com o objetivo principal de se constituir como um centro de altos estudos e debate de políticas públicas em saúde, contribuindo, assim, para o desenvolvimento da governança e liderança em saúde nos países da América do Sul. Em setembro de 2010, o ISAGS é, então criado, por resolução do Conselho de Chefes de Estado da UNASUL e é ratificada a sua sede no Brasil, na cidade do Rio de Janeiro.
 
Entre as competências do ISAGS encontram-se:
 
  • Identificar necessidades, desenvolver programas e apoiar processos de formação e capacitação de recursos humanos estratégicos e de liderança em saúde para os países membros em articulação com instituições congêneres nacionais e internacionais.
  • Organizar o conhecimento existente e realizar pesquisas sobre políticas de saúde e governança em saúde, recursos humanos e outros temas pertinentes, que possam ser instruídos pelo Conselho de Saúde Sul-Americano, em articulação com instituições congêneres nacionais e internacionais.
  • Sistematizar, organizar, difundir e transmitir informação técnico-científica em saúde global e regional, com o propósito de apoiar a tomada de decisões dos centros de condução, fortalecer os processos da sociedade e informar sobre os processos de governo e governança em saúde.
  • Assessorar na formulação de políticas externas comuns da UNASUL para fundamentar a negociação de temas vinculados à saúde nas agendas internacionais globais e regionais.
  • Assessorar tecnicamente as instituições nacionais de saúde, através de novos enfoques metodológicos e de avaliação, a fim de promover a aplicação e transferência de conhecimento, a educação a distância, e, por sua vez, desenvolver modelos para avaliar os produtos, causas e efeitos desta cooperação.
 
Visite o site do ISAGS e saiba mais sobre suas ações e seu Plano de Trabalho.
 
 
Português, Brasil