Portal ENSP - Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca Portal FIOCRUZ - Fundação Oswaldo Cruz

Tabaco e medicamentos: uma perigosa interação | CECOVISA

Início

Tabaco e medicamentos: uma perigosa interação

Aquilo que não era mais novidade a ninguém agora possui mais um embasamento científico: tratar-se com antibióticos concomitante ao uso de outras substâncias como tabaco, álcool e até alimentos pode prejudicar o tratamento de pacientes. Pesquisadores da Faculdade Leopoldo Mandic, em Campinas, verificaram a concentração de antimicrobiano na corrente sanguínea de 30 pacientes, metade deles fumantes que consomem mais de 20 cigarros por dia.

Os estudiosos concluíram que o antibiótico fez o dobro do efeito nos pacientes não-tabagistas. A substância utilizada no estudo foi o metronidazol, usado para doenças da gengiva e infecções ginecológicas. Para o pesquisador Rogério Motta "em alguns fumantes, a concentração do medicamento correspondia quase à metade da quantidade que chegou no sangue dos não-fumantes. É um indício de que pode haver comprometimento da eficácia clínica do medicamento", explica.

- Fumantes devem estar cientes de que o tratamento pode não ter o efeito esperado. O procedimento correto seria abandonar o cigarro, pelo menos enquanto estiver usando o medicamento.

O resultado desta observação é que, para os fumantes, o tratamento costuma ser mais demorado, o que pode facilitar efeitos colaterais e também contribuir para a resistência da bactéria. Christiane Gomes, farmacêutica do Hospital do Fundão alerta que, ao invés de fazer o efeito desejado, o paciente pode apresentar algum mal, como dor de cabeça, náuseas, vômito, secura na boca e alergia ao medicamento.

- A partir do momento em que se aumenta a dosagem, o medicamento pode passar do nível de eficácia para grau de toxicidade.

Abaixo, os pesquisadores fazem algumas recomendações e relatam algumas combinações perigosas entre medicamentos, alimentos e bebidas que podem causar intoxicação e, em alguns casos, até matar.

MEDICAMENTOS E BEBIDAS

Paracetamol + álcool:
Lesões de fígado. O uso recorrente pode matar. Não tome para curar ressaca. Espere 6 horas para beber após usar o analgésico.

Calmantes + cafeína:
Efeitos do medicamento podem ser anulados. Espere 12 horas para ingerir cafeína, mesmo que em doses pequenas.

Calmantes + álcool:
Pode diminuir a frequência da respiração e causar parada respiratória.

MEDICAMENTOS E ALIMENTOS

Broncodilatadores + gordura:
Perda do efeito esperado e as crises respiratórias voltam muito antes do previsto.

Antibióticos quinolonas + laticínios:
Leite e derivados neutralizam o antibiótico. Espere três horas para tomar o remédio.

MEDICAMENTOS E MEDICAMENTOS

Inibidores de apetite + calmantes:
Irritabilidade, confusão mental, alteração de batimentos cardíacos e tontura. Não devem ser tomados juntos.

Antiácidos + Antibióticos:
Antiácidos diminuem absorção de antibióticos. Espere 1 hora.

Data: 
21/09/2010
Compartilhar

Curso Filmes na Visa

Boletim Digital

Receba nossas últimas notícias

entrevista

Em entrevista para o Cecovisa/Ensp a professora Márcia Aparecida Ribeiro de Carvalho falou sobre os principais avanços e desafios da graduação em saúde coletiva da UFRJ. Ela apontou que "O maior desafio atualmente é a institucionalização e operacionalização das atividades de extensão e disseminação dos conhecimentos acadêmicos para a comunidade externa à universidade com aplicação desses conhecimentos no seu cotidiano..."
Leia Mais